Quem te acolhe ?



Hoje vivemos um momento de incertezas profundas. Estarei eu fazendo parte do mundo amanhã? Se sim, que mundo? Um mundo onde posso andar pelas ruas sem medo, com liberdade, ou um mundo onde até respirar é risco de morte?

Num momento de dificuldades tão severas e graves para nossa saúde física e mental, fica a pergunta: quem te acolhe?

Quem é que te escuta, te olha e enxerga os seus tormentos, suas incertezas, seus medos? Quem é que, mesmo passando por muitas dificuldades parecidas ou não com as suas, ainda tem a sensibilidade de se compadecer ao sofrimento do outro?

Jornalista espanhol deixa a profissão indignado com guerra midiática contra a China



247 - O jornalista Javier Garcia, chefe da sucursal da agência noticiosa EFE na China, publicou no Twitter em tom de desabafo uma denúncia das manipulações feitas pela mídia empresarial, no quadro da guerra midiática contra o país socialista asiático. Essa guerra é comandada pelo Departamento de Estado dos EUA, escreveu.

"Em alguns dias deixarei o jornalismo, pelo menos temporariamente, após mais de 30 anos na profissão. A embaraçosa guerra de informações contra a China tirou uma boa dose da minha ilusão por este trabalho, que até agora havia sobrevivido a não poucos conflitos e outras sutilezas.

Vim para a China, como qualquer outro destino, tentando manter a mente aberta e livre de preconceitos. Sempre acreditei que a curiosidade e a capacidade de maravilhar-se, a par do rigor e da fidelidade à verdade, são os elementos básicos do jornalismo.

O que encontrei me surpreendeu. Por um lado, um país enorme, diverso e em constante transformação, cheio de histórias para contar. Um lugar inovador, moderno e tradicional ao mesmo tempo, em que o futuro se vislumbra e o destino da humanidade está de alguma forma em jogo.

Estamos na Primavera : As 20 árvores mais belas da Terra

 



"Uma árvore é um organismo vivo maravilhoso que dá abrigo, alimentação, calor e proteção a todas as coisas vivas. Ela ainda dá sombra para aqueles que exercem um machado
 para cortá-la ".  (Buda)


Enquanto aprecia o artigo que tal ouvir uma linda canção?



Oi amigos queridos! Setembro chegou trazendo novos ares de liberdade! É um mês especial! E para homenagear o mês da primavera que tal começar se deleitando com as 20 espécies das mais belas árvores existentes no planeta?

Fiz uma seleção, mas se você concluir que ainda existam outras tão belas quanto, por favor, me avise nos comentários, que incluirei no post ok? Vocês sabem que provavelmente existem centenas de árvores majestosas e magníficas no mundo todo e destas, algumas são particularmente especiais. Ei-las aqui:


1 - Flamboyant (Brasil)


Começando com o nosso país, é óbvio! Apesar da árvore Flamboyant ser originária de Madagascar, ela adora as áreas tropicais ao redor do mundo. Aqui no Brasil ela também é conhecida como Flor-do-Paraíso ou Pau-Rosa. Como não se apaixonar? É maravilhosa!


2 - Ashdown Forest, West Sussex (Inglaterra)


Ashdown Forest é uma área antiga de charneca aberta, muito tranquila e serena, ocupando uma grande área de areia, dotado de impressionante beleza natural. Situa-se a cerca de 30 milhas (48 km) ao sul de Londres, no condado de East Sussex, Inglaterra.


3 - General Sherman, Parque Nacional da California (EUA)


General Sherman é uma sequoia gigante localizada na Floresta Gigante da Sequoia National Park, na Califórnia. As árvores famosos da floresta gigante, estão entre as maiores árvores do mundo. Na verdade, se medido em volume, cinco das dez maiores árvores do planeta, estão localizados dentro desta floresta. Em 11,1 metros (36,5 pés) ao longo da base, a árvore General Sherman é a maior de todas elas. Acredita-se que a árvore deva ter entre 2.300 a 2.700 anos. Um espetáculo, uma árvore idosa que já deve ter visto muita história!


4 - Angel Oak: Charleston, Sul da Carolina (EUA)



The Angel Oak Tree é um carvalho vivo Austral (Quercus virginiana), localizado em Angel Oak Park em Johns Island perto de Charleston, Carolina do Sul. O Angel Oak Tree é estimada em mais de 400-500 anos de idade, está com 66,5 pés (20 m) de altura, mede 28 pés (8,5 m) de circunferência, e produz sombra que cobre 17.200 pés quadrados (1.600 m2). De ponta a ponta, sua maior distância ramo é 187 metros. Fabuloso!

E no Brasil . . . 27-09-2021 / Só Deus me tira daqui

 

 


Vivemos os piores mil dias de nossas vidas




"Nunca se juntaram tantas coisas ruins ao mesmo tempo. Nunca o que há de pior esteve no governo do Brasil como agora", escreve o sociólogo Emir Sader, fazendo um balanço dos mil dias de governo Bolsonaro. "Passamos a ter, como nunca, vergonha de ser brasileiros"


Emir Sader

Já vivemos momentos muito ruins em nossas vidas. Momentos de ditadura, de fome, de falta de esperança.

Já vivemos tempos muito desesperadores, como durante o regime militar. Já vivemos anos de muita miséria, de abandono, de degradação do país.

Mas nunca como nestes mil dias. Nunca se juntaram tantas coisas ruins ao mesmo tempo. Nunca o que há de pior esteve no governo do Brasil como agora.

Pelo menos 2 milhões de pessoas tiveram a renda reduzida e caíram para a extrema pobreza. Em regra são pessoas que vivem nas ruas ou em barracos e enfrentam insegurança alimentar. Só no estado de São Paulo há 1,79 milhões de pessoas na pobreza e cerca de 394 mil novos pobres desde 2020.

Temos o maior número de pessoas na miséria – 41,1 milhões. Há ainda 2,8 milhões de pessoas na pobreza, com renda per capita entre 90 e 178 reais mensais. O número de desempregados chega a 14,8 milhões de pessoas.

9 frases que você sempre deve dizer a seu parceiro



“O que com o coração se quer, só com o coração se fala”
Francisco de Quevedo

Algo básico para que uma relação perdure: nossas trocas devem ser produzidas a partir do afeto, do entendimento e da confiança. Às vezes nos esquecemos de tudo isso e a rotina nos permite relaxar em certas demonstrações de amor, de respeito e de consideração mútua que nunca deveríamos permitir desaparecer. Neste artigo ressaltaremos a importância de 9 frases que devem estar presentes em nosso dia a dia…

1. “Sinto saudades de você”

“Sentir saudade não é estar vazio, mas sim estar cheio de alguém que se faz presente apesar da ausência…”

Esta frase esconde um grande valor; quando as pessoas que amamos pronunciam estas palavras, sentimos que contribuímos com algo que só nós podemos oferecer. Expressar a saudade que sentimos de seus beijos, de suas carícias, de seu sorriso ou simplesmente de sua presença é essencial para manter vivo o amor.

2. “Como foi o seu dia? ”

“A indiferença é uma forma de preguiça, e a preguiça é um dos sintomas do desamor. Ninguém é preguiçoso com o que ama” (Aldoux Huxley)

Ter alguém é a forma de garantir ter um espaço para compartilhar nossas experiências diárias e nossas inquietudes. Não se trata de entrar todos os dias em uma sessão de queixas e lamentações, mas de criar a oportunidade de expressar como nos sentimos diante do verdadeiro interesse da outra pessoa.

3. “Lembra-se de quando…? ”

“Muitas vezes na vida as pessoas se esquecem do que devem se lembrar e se lembram do que devem esquecer…”

O fato de recordar os grandes momentos juntos faz com que a magia não se perca com o passar dos anos. Na verdade, recordar é uma boa maneira de gerar novas e boas experiências, pois nos ajuda a reinventar novas formas e lembrar de como podemos nos sentir bem juntos. No final das contas, é este sentimento que nos une.

Música que sai diretamente do meu coração . . .




Oi gente, vários fatores nesta pandemia nos afetaram mental e psicologicamente e por isso recorri a algumas músicas, pensadores e filósofos que nos ensinam com suas obras a encarar a vida com mais serenidade e sabedoria.

Saibam que isso não se aprende nos livros, na escola ou apenas com as vitórias. A sabedoria se aprende e deve ser cultivada ao longo de toda a vida, através de experiências, vivências, erros e acertos. E a música tem uma parcela de contribuição gigante nisto tudo.

E para nos ajudar nesse longo e maravilhoso percurso, cataloguei algumas mensagens de sabedoria, reflexão e otimismo que irão despertar uma faísca de reflexão sobre o modo que você está construindo a sua vida. E ao final, uma canção diretamente do meu coração...


O grau mais elevado da sabedoria humana é saber adaptar o seu caráter às circunstâncias e ficar interiormente calmo apesar das tempestades exteriores.   Daniel Defoe

Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.
Cora Coralina

Casal de fotógrafos captura a beleza surpreendente de crianças afro em fotos únicas



Na série “AfroArt” eles celebram a versatilidade do cabelo afro e sua beleza inata. O objetivo desta série é ilustrar a história do passado real dessas pessoas, celebrar a glória do aqui e agora e até mesmo ousar prever o futuro.



Regis e Kahran são um casal de artistas que há mais de 10 anos trabalham com centenas de crianças, famílias e marcas. Eles são obcecados por uma narrativa visual única.

Os dois se conheceram justamente por conta de sua paixão compartilhada de preservar momentos preciosos. Eles se apaixonaram perdidamente um pelo outro e, no processo, criaram algo lindo: o CreativeSoul Photography

O casal é especializado em fotografia de estilo de vida, com uma narrativa visual autêntica. O trabalho deles é único e possui uma abordagem holística.

Os fotógrafos já trabalharam na Teen Vogue, CNN, revista Glamour, Vogue Italia, Black Enterprise, BET.com, BBC News, e muito mais.

Na série “AfroArt” eles celebram a versatilidade do cabelo afro e sua beleza inata. O objetivo desta série é ilustrar a história do passado real dessas pessoas, celebrar a glória do aqui e agora e até mesmo ousar prever o futuro.

“Com esta série, pretendemos capacitar crianças de cor a abraçar seus cachos naturais e a pele em que estão. Esta série viral ganhou atenção mundial e foi apresentada na BBC News, CNN, CBS News, Teen Vogue, Glamour Brasil e mais.”, diz o site dos fotógrafos.

O trabalho incomparável desses artistas tem como resultado imagens surreais que mostram a beleza única desses jovens e crianças e suas culturas. Confira!


by CreativeSoul Photography

As mentiras do canalha na ONU




Antônio Carlos de Almeida Castro, Kakay

Logo no início da pandemia, quando comecei a escrever sobre os desmandos deste Presidente desalmado e desumano na condução criminosa da crise sanitária, propus que ele fosse processado não somente pelos crimes contra a saúde pública, mas também por genocídio. Escrevi sobre isso em maio de 2020 e fiz várias lives defendendo a criminalização da conduta desse fascista. Fui muito criticado por vários amigos que tinham o cuidado sobre a exata tipificação da conduta desse criminoso. Uma preocupação técnica que eu respeito, mas que não me comove.

O ar que começava a faltar para milhares de brasileiros tragados pela nuvem tóxica que exalava desse governo me turvava os olhos. Agia por impulso, usando o que a advocacia e a vida me deram de mais precioso: a capacidade de poder falar e escrever. Quis fazer da minha voz a voz daqueles que começavam a sofrer os efeitos de uma política perversa e cruel. Já trazia a indignação para o debate que se avizinhava na certeza de que o irresponsável Presidente estava guiando o país para o abismo, para o precipício.

E, aos poucos, fui colocando mais pimenta para definir esse Presidente desprovido de empatia, de compaixão, de solidariedade e de emoção com a dor do outro. Dentre as várias palavras que eu usei para definir minha repulsa, talvez uma o defina melhor: canalha!

O abraço





O abraço só deixou de ser vulgar quando a pandemia

 o tornou problemático


Boaventura de Sousa Santos (*)

No passado dia 28 de Agosto de 2021 às 16.30 dei o primeiro abraço a alguém fora do círculo das poucas pessoas íntimas que convivem comigo diariamente, quinhentos e vinte cinco dias depois de me ter isolado na minha aldeia a 30km de Coimbra devido à pandemia. O que senti não tem descrição possível. Foi um ato incondicional, uma presença demasiado forte para poder ser objeto de planeamento ou representação. Sentir as minhas mãos deslizar e apertar outro corpo contra o meu, era algo tão familiar quanto estranho. O prazer de outro corpo contra o meu era mais que erótico. Era a verdade carnal da existência, uma prova de ser. Depois veio medo, mas seria medo ou punição pelo prazer? Terá sido um ato impensado e desnecessariamente arriscado? Seria preciso retreinar os sentidos e reaprender a lidar com as emoções do contacto físico e com o conforto desafiador que delas deriva? Teria eu estado sujeito a uma prolongada privação do toque e do tacto de outros seres vivos que não os estritamente familiares, entre humanos, gatos e cães?

Porque não me ocorrera durante a longa privação pandémica abraçar árvores, como fazem muitos ecologistas para sentirem a energia desses maravilhosos seres vivos que ligam de modo tão natural a profundeza da terra e a altura do céu, algo que é tão difícil para os humanos treinados na cultura ocidental? Por que é que abraçar as árvores (e tantas tenho no meu quintal), que eu poderia abraçar sem ter medo de ser por elas contaminado pelo coronavírus, não me daria a mesma indescritível emoção que me invadiu ao abraçar e sentir o corpo quente de um ser humano amigo? Por que é que esta verdade carnal da vibração incontida de um abraço escapa à reflexão e só como surpresa invade a consciência como uma avalanche solta e “irracional”, de modo menos previsível que um tsunami ou um terramoto? Sendo certo que em certas culturas há quem não possa ser tocado, quer por ser demasiado superior quer por ser demasiado inferior, como funcionará a vibração dos corpos sem toque?

Esta verdade carnal dos corpos e das relações humanas é o dia-a-dia de todos os seres humanos que não fazem do corpo (próprio ou alheio) e das relações humanas um instrumento de diagnóstico científico, um objecto de lucro ou um motivo de especulação filosófica, mas raramente ocorre ou se impõe a intelectuais e filósofos. Quando isso ocorre, o que é muito raro, faz deles seres muito especiais.

Lembro-me de Michel de Montaigne que, nos seus Essais, escritos por volta de 1570, escreve sobre o que verdadeiramente conhece, o seu corpo e as surpresas e contradições das relações humanas. Por isso, dedica um ensaio à arte de conversar e da confrontação oral e discorre sobre o prazer de comer ostras, mesmo tendo de sofrer as cólicas que elas podem vir a causar. Mas o caso mais notável é o de Albert Camus e a sua incessante luta contra as ideias abstractas, a que contrapõe a verdade carnal da morte e do sofrimento concretos. Numa sessão na Universidade de Estocolmo, por ocasião da entrega do Prémio Nobel da Literatura em 1957, quando interpelado agressivamente por um ativista islâmico sobre a independência de Argélia e a questão da violência, Camus respondeu: “terrorismo nas ruas de Argel… poderia matar a minha mãe ou a minha família. Eu creio na justiça, mas defenderei a minha mãe acima da justiça”. A sua mãe valia mais para ele do que qualquer ideia abstrata.

O abraço e a cultura

A verdade carnal do abraço depois de tanto desuso e a emoção com que me abalou fez-me refletir sobre o abraço. 

A arte e a natureza se unem saudando a Primavera !

 





Imagem relacionada


Cabelos coloridos para Elas e Eles 2021 / 2022

 



Discurso do " Pinóquio " na ONU

 




Enquanto o Brasil passa vergonha em Nova York e na ONU, aqui no país . . . ↓


 


 

E no Brasil . . . 18/09/2021

 




Ideias para valorizar a solidariedade e impedir que o individualismo competitivo determine nosso futuro



"Esse modelo ultraliberal, sem nenhuma mediação com o futuro do nosso planeta, sem dúvidas, provoca desarranjos nas relações intersubjetivas, estimula o pragmatismo sem limites. Prefiro estimular a solidariedade como base fundamental de organização dos humanos, com todos os seus significados", escreve João Antonio da Silva Filho.

João Antonio da Silva Filho

Não vejo a hora de poder olhar o futuro com normalidade. Na vida é assim: a negação de algo quase sempre é a afirmação de uma expectativa. E quando olhamos o nosso dia a dia de modo criterioso, notamos que os detalhes não podem ser desprezados. Pelo contrário, numa pesquisa séria e rigorosamente projetada, é a soma de detalhes que torna as conclusões mais precisas. Recomenda-se que tenhamos criteriosos olhares para nossa realidade, mesmo sabendo que tal postura exige esforços, pois, na falta de conhecimento aprofundado, nossa tendência é simplificar o complexo para facilitar o nosso viver.

No mundo atual as anormalidades têm ditado a dinâmica do convívio social. E quando se fala de anormalidades, o que salta aos olhos é a desgraça pandêmica causada pelo coronavírus. De fato, as consequências do vírus são um desafio que mobiliza energias, dinheiro e esforços concentrados de estruturas estatais, governos e sociedade. Não poderia ser diferente. Mas, para além da pandemia, outras anormalidades, quase todas por consequência da ação desarrazoada dos ambiciosos, campeiam sem freios, ameaçando o necessário equilíbrio estável nas relações humanas.

E por ser a vida o principal bem do planeta, preservá-la na sua inteireza é o desafio dos sapiens. Todavia, em seus incontroláveis desejos e no afã de impor o seu domínio, estes não conseguem, pela auto-organização, administrar suas ambições. Essa ganância desmedida embrutece as pessoas e faz da competitividade entre si um falso impulso desenvolvimentista e, com ele, amplia as chamas destrutivas da vida nesse nosso planeta azul. Não se trata aqui, de numa atitude conservadora – fazer o tempo parar. Impossível! Trata-se de estimular o equilíbrio das relações entre os humanos e destes com a natureza. Trata-se, portanto, de estimular as medidas necessárias para inibir o imediatismo ambicioso que corrói por dentro as formas horizontais e equânimes de organização das diversas comunidades políticas.

Dessa forma, importa fazer com que as atitudes do presente dialoguem com as necessidades das futuras gerações.

Setembro Amarelo

 







Querendo ver mais sobre Minimalismo clique nos links abaixo






Minimalismo: o que me fez querer transformar a minha vida




Jovem faz sucesso inserindo personagens da Disney em suas fotos






Muitos de nós, quando crianças ou talvez até mesmo como adultos, já imaginamos como seria se nos juntássemos aos nossos personagens fictícios favoritos em suas aventuras, ou então como seria se eles pulassem da tela e se infiltrassem em nossa vida cotidiana. Visto que isso seria impossível na realidade, Samuel MB resolveu usar ferramentas de edição de fotos para experimentar essa ideia.

Samuel, que é ator e professor de escola primária, insere personagens icônicos da Disney em sua vida cotidiana usando o Photoshop. E o resultado é tão divertido quanto impressionante. Parece que eles estão realmente interagindo.

Veja abaixo algumas das criações mais inspiradas do artista.



Tempo





Hello, hello!!!

Vocês já pararam para pensar em quanto tempo a gente não para, para pensar?

Caraca, clichêzao essa frase, né? Pois é.… também achei! Mas talvez porque eu não tenha parado para pensar no que escrever… ou talvez tenha e só surgiu isso mesmo. Ahahaha

Nosso dia a dia é tão cheio de coisas e afazeres que quando piscamos, já escureceu e a gente nem se dá conta do que fez ou deixou de fazer (pasmem!)



Ouço muito dos pacientes que me procurar a frase: como lanche porque eu não tenho tempo de fazer comida OU não como nada depois do almoço porque tenho muito trabalho a fazer OU não como direito porque não dá tempo por causa do meu filho pequeno.

A campeã das frases acima é a de comer lanche porque não tem tempo de cozinhar.

Aí eu pergunto: mas você gosta de cozinhar? A resposta: adoro cozinhar, mas eu não tenho tempo para isso.



Nas minhas ideias que rolam aqui no meu cérebro, penso que, se eu adoro uma coisa, eu posso conseguir um tempo para me dedicar àquilo. Afinal eu adoro!

Se eu adoro macarrão, eu posso fazer um simples macarrão alho e óleo e adicionar cenoura ralada e salsinha ao invés de apelas praquele macarrão de 3 minutos com aquele tempero horroroso puro sódio ou aquele que é só acrescentar água quente direto no copo de isopor (ECA, ECA, ECA!!!!).

A paz substitui o medo




Existe um lugar dentro de você onde é possível acolher tudo que sente e se proteger de todas as intempéries do mundo.



Existe um lugar em seu coração que é só de paz e aconchego.

Existe um espaço reservado para você, de sonho bom, de acolhimento. Um lugar de refúgio no seu interior. Um lugar sereno para pausar tudo, para pensar melhor, para se refazer…

Existe um templo dentro de você, um lugar seguro longe de todo caos do mundo…

Não precisa buscar fora de você o que está dentro de você.

A agitação e confusão tomam conta da maioria das pessoas, muitas delas se afligem o tempo todo, com ou sem motivos, e isso não é bom, não é saudável. Vivemos acelerados por uma vida que nos atropela por várias razões que exigem muito mais do que é possível oferecer.

Somos influenciados por muito barulho, somos influenciados pelo caos do mundo e pelo caos de muita gente. Um estado de constante alienação e desânimo toma conta da atmosfera terrestre. Muitas pessoas estão desmotivadas e desmotivam outros…

No coletivo, somos influenciados e influenciadores…. É preciso cautela para não andar distraído por aí e não ser acometido pelo mal dos outros…